quinta-feira, 23 de setembro de 2010

A fuga das galhinhas: com o Pastor Paschoal Piragine Júnior


A liderança evangélica-apostata, neste momento, articula discursos moralistas para despistar ligações políticas e comprometimentos espirituais com o Governo Lula e suas emendas constitucionais da imoralidade - em oito anos de mandato e muitos anonimatos - para apresentá-las as suas denominações(incautos).

Alguns destes líderes-execráveis, utilizam-se do recurso “ justificável“ para um discurso favorável a coligação política pró-Dilma(Lula): baseados na promessa(pressuposto) de que tais leis( descriminalização do aborto e das drogas, homossexualidade, lei da mordaça e outros legalismos) não sairão do papel no Governo Dilma. Alguns destes “chacais“ , optaram pelo perfil “defensoria” social e teológica - atacando a imoralidade-instituticonal como sociólogos e éticos da cristandade moderna.

Não faz muito tempo, o Sr. Silas Malafaia(Conselheiro Social e Econômico do Governo Lula), utilizou-se da lei - PL122(homofobia) para engajar um movimento partidário em defesa a heterossexualidade-familiar, tentando esconder o seu comprometimento político e espiritual com este Governo “imoral” e sua coligação nestes 8 anos de mandato Lula. Desta prostituição e
união espiritual(Igreja e Estado) um filho vos nasceu “Lula”. Agora que este filho cresceu, desenvolveu e mostrou sua verdadeira fase política pela”dinastia-satânica” , eles reaparecem para o público cristão para negar a paternidade e jogar este filho no colo do diabo do sistema(pecado institucionalizado)?
Link: O CIRCO ESTÁ ARMADO PARA OS PALHAÇOS DA FÉ


A fuga das galhinhas: com o Pastor Paschoal Piragine Júnior
O então pastor Paschoal Piragine Júnior, que virou um hit na internet este dias(Lutero por uma semana), tentou utilizar-se da mesma metodologia “moralismo” para um fuga covarde “Pastoral” e “Congregacional“. O maioral, pela primeira igreja Batista de Curitiba, pronunciou no último dia 29, não recomendar voto aos que idealizam a imoralidade institucionalizada. O alvo da crítica indireta, era para o Partido dos Trabalhadores, especialmente pela postura adotada no referendo(Plano Nacional de Direitos Humanos).

A melhor pergunta ao Pastor Piragine seria: aonde ele estava nestes oitos anos de mandato Lula?Qual a profundidade de sua habitação-mórbida(omissão) para sustentar o silêncio e agora prever o óbvio?Que motivação o levou a falar contra estas emendas do Governo Lula, em plena corrida presidencial “ganha”por Dilma Russef ?

A manifestação deste pastor, por sinal atrasada, configura o mesmo caráter de Pilatos(mediador informal): a Igreja sangrando pelos abusos do poder, desmoralizada e comprometida com o mesmo tipo de fazer política - e o Pastor querendo lavar a mãos deste sangue e dizer que está preocupado e chocado com este Governo!

A falta de vergonha e pudor chega ao ponto máximo da estupidez, quando o mesmo, enfatiza a criação de um movimento moralista”anti-PT” entre líderes evangelicais, e líderes episcopais da Igreja Católica ( posicionados contra o PT devido a emenda do aborto). Esperou oito anos para falar e agora fala como um embaixador do diálogo inter-religioso - outra tentativa promocional: o moralista e ecumênico.

O que ele se esqueceu? Falar do Conselho de Pastores do Brasil e da Ordem Pastoral dos Estados(interdenominacional), a qual também representa, e das Congregacionais das Batistas do Brasil e de todos Deputados, Senadores e Vereadores que compõe a “ bancada político-evangélico” deste mesmo Governo(PT) que o Sr. Piragine também faz parte PROFÉTICA - pela estado indireto ou direto. Os mesmos que alimentaram, apoiaram e sustentaram por “oito anos” com condolências e otimismo(apoio eleitoral), agora buscam esquivar-se do comprometimento e evitar que seus nomes estejam citados neste histórico vergonhoso! Este governo, diretamente relacionado a carreira ilustre deles “apóstolos” não é mais vantagem para a Eclésia-cristã.
Concluímos...
Estes movimentos covardes “justificáveis” e “estrategistas” vão chegar como impacto moralista no meio evangélico - devido ao andamento destas constitucionalidades e de suas oficializações “emendas imorais” para o futuro governo. A tendência destes líderes é a fuga e a descaracterização desta relação : governo Lula e liderança evangélica. Os tais são nódoas expelidas como Laodicéia do século 21 - dupla face. Deveriam mover-se como esta política o faz agora “imoralidade institucionalizada” - rumo a verticalização e ao legalismo. Mesmo que não sejam os idealistas destas emendas, são piores do que isso: abençoaram e partidarizaram deste governo desde o início. Espiritualmente geraram perspectivas político-sociais pelo petismo, amamentaram o idealizador, criaram a hipótese e desenvolveram este filho(Lula), para ser um “diabo” popular brasileiro. Agora chamam de governo de risco? O que no início era uma esperança de um governo cujo suas propostas são similares a de Cristo.

Olhe para a face deste Batista-Congregacional de Curitiba, pois o mesmo brilho dele é óleo de peroba, o mesmo que o Silas Malafaia e a patota da liderança evangélica também usa para a fuga!

por Pastor Daniel

Um comentário:

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamado Paulo Machado,

A paz do Senhor!

Triste ver, ouvir e ler, que a onda do engano,, levantou-se no momento exato para indiretamente promover a vitalidade do governo e posicioná-lo em vitória através de uma candidata incoerente com a realidade necessária ao futuro do País, chamado Brasi!

Triste saber que o blá blá blá terminará em pizza e com a possibilidade da metralhadora ser apontada para a igreja de pedra e quem sofrerá será a igreja verdadeira em fase de preparo para o arrebatamento. Triste saber que a construção de imensos e magestosos templos são resultados da megalomaníaca liderança, que não se ausenta em hipótese nenhuma do entusiasmo em cargos que deningrem aos do ministério onde quer que seja. Puro jogo de interesses!

O Senhor seja contigo!

O menor de todos.