domingo, 28 de novembro de 2010

Harry Potter, o Novo Herói Infanto-Juvenil: Compreensão Básica do Problema

Antes de começar a ler os livros de Harry Potter, ou comprá-los para seus filhos, você precisa compreender alguns fatos que talvez ainda não saiba.

Ao começarmos este estudo dos livros da série Harry Potter, achamos que existem algumas coisas que você precisa conhecer. Portanto, criamos este artigo introdutório para que leia, compreenda e tenha uma visão geral do problema.

O sucesso obtido pelos livros de Harry Potter é totalmente bizarro. Considere estas estatísticas, fornecidas por um fabricante que acaba de obter a licença para produzir itens na linha Harry Potter. "Até o momento, sete livros estão planejados, um para cada ano em que Harry vai estudar na Escola Hogwarts de Magia e Bruxaria. Vinte e oito milhões de livros já foram publicados em todo o mundo, dezenove milhões só nos Estados Unidos. Em fevereiro de 2000, todos os três títulos da série Harry Potter apareceram na lista dos livros mais vendidos do jornal The New York Times — um fato sem precedentes para livros infantis. Os livros da série Harry Potter conquistaram o mundo e já são publicados em 115 países e em 28 idiomas. Os estúdios Warner Bros. planejam lançar o primeiro filme, baseado em Harry Potter e a Pedra Filosofal, em meados de 2001."
Essas estatísticas são inacreditáveis, especialmente quando você considera que, há apenas alguns anos atrás, a autora J. K. Rowling estava vivendo na pobreza, desquitada e com uma filha pequena para criar. Esse seria o epítome de uma história de sucesso, se não fosse pelo fato que a linha de narrativa dos personagens seja a mais sofisticada e exata ilustração de feitiçaria avançada imaginável. Rowling claramente conhece sua feitiçaria, e muito dessa feitiçaria é obscura e secreta; apesar disso, ela escreve sobre o assunto da forma mais inocente e sedutora possível. Isso explica todo o fascínio que as crianças e adolescentes têm pelos livros de Harry Potter.

No entanto, os sistemas educacionais públicos da Inglaterra e dos EUA estão entrando em cena também. Nesses países, os livros da série Harry Potter estão sendo adotados no currículo escolar. Assim, livros didáticos estão sendo produzidos e vendidos aos professores para que saibam como lecionar a matéria aos seus alunos. Em vez de advertirem sobre a tremenda feitiçaria, esses guias dizem aos mestres para enfatizarem o aspecto "do bem contra o mal" do enredo, e os "valores centrais" de amor, lealdade, coragem e determinação. Mas, não se engane a respeito do fato que, se você permite que seu filho estude em uma escola pública na Inglaterra, Estados Unidos, Canadá, Austrália, e provavelmente na Nova Zelândia, ele precisará ler e escrever redações sobre os livros. [Nota de A Espada do Espírito: No Brasil, algumas escolas particulares já estão recomendando a leitura dos livros da série Harry Potter. Segundo informações divulgadas na imprensa, a vendagem dos livros já passou da casa dos 60.000 exemplares, um sucesso estrondoso.] Esse negócio é bem sério, pois esses livros contêm as mais vívidas discussões sobre feitiçaria e Magia Negra imagináveis, e fazem isso de um modo que convence as crianças que a feitiçaria não somente é perfeitamente válida, mas também é melhor que o mundo sem feitiçaria, e que não precisam temer nenhuma conseqüência por praticarem esse tipo de feitiçaria.

Finalmente, a autora J. K. Rowling não somente conhece bem sua feitiçaria, mas conhece a forma como é praticada pelos Iluministas. Ela usa constantemente os símbolos dos Iluministas para retratar os elementos-chaves nos livros, e usa-os exatamente com o significado correto que têm para os Iluministas. Como o principal objetivo dos Iluministas é preparar o cenário para o aparecimento do Anticristo, todos os pais cristãos precisam considerar que talvez, os livros da série Harry Potter estejam condicionando seus preciosos filhos para aceitarem o Anticristo quando ele aparecer na cena mundial.

Elementos-Chave no Enredo

Harry Potter vivia com sua família de trouxas [Nota: No original inglês, muggle, possivelmente um neologismo criado pela autora J. K. Rowling, mas de sentido depreciativo para designar as pessoas não-iniciadas na feitiçaria.], tio Válter e tia Petúnia Dursley e o filho deles, o Duda. Harry foi deixado na porta da casa da família Dursley na noite terrível em que seus pais foram assassinados pelo maligno mago Lord Voldemort, o Senhor das Trevas. Em outras palavras, o jovem Harry Potter, que tinha apenas um ano de idade quando esse ataque ocorreu, tem um histórico de feitiçaria hereditária na família, pois seus pais eram feiticeiros poderosos, praticantes de Magia Branca; assim, Harry Potter é, por herança, um poderoso mago, mesmo na tenra idade de um ano. Na verdade, Lord Voldemort tentou matar Harry junto com seus pais, mas não conseguiu. Suas maldições de morte funcionaram perfeitamente contra Lílian e Tiago Potter, mas não conseguiram matar Harry. O único efeito que essa maldição de morte teve em Harry foi criar uma cicatriz em forma de raio na sua fronte. Na verdade, a maldição voltou contra Lord Voldemort quando ele não conseguiu matar Harry, tirando parte da intensidade de seus poderes. Como veremos posteriormente, Rowling compreende muito bem sua feitiçaria; no mundo real dos feiticeiros e bruxos, se uma maldição for lançada em uma vítima, mas os poderes dessa vítima forem suficientes para anular a maldição, os efeitos da maldição fracassada voltam contra a pessoa que a lançou. A autora Rowling conhece bem sua feitiçaria e utiliza-a com perfeição em toda a história.

Os tios Válter e Petúnia sabem que a irmã dela, Lílian, e o marido Tiago eram feiticeiros poderosos; portanto, sabiam que Harry bem que poderia tornar-se um feiticeiro quando crescesse. Para tentar destruir essa feitiçaria hereditária em Harry, eles o tratavam de uma forma abominável. Negavam-lhe um quarto livre que tinham no sobrado e o faziam dormir em um cubículo debaixo das escadas. Harry não recebia seu próprio prato de comida na mesa e precisava sobreviver com o que caia do prato do balofo e sempre guloso Duda, que é um pouco mais velho do que ele.

Em todos os livros, a autora retrata o mundo da fantasia da feitiçaria como muito mais divertido, interessante e capaz de propiciar realização que o mundo não-mágico dos "trouxas". Quando uma cena ocorre no mundo monótono dos trouxas, Harry está triste e sente-se deprimido pela forma como é tratado e deseja retornar às aulas na Escola de Magia e Bruxaria. A única alegria na vida de Harry é seu mundo de fantasia em Hogwarts, onde pode brincar e estudar com seus colegas feiticeiros e magos.

Da mesma forma, todas as pessoas no mundo não-mágico dos trouxas são retratadas como estúpidas, preconceituosas e fisicamente repugnantes. Qual criança normal quereria continuar a viver em tal existência não-mágica quando pode fugir para o mundo mais interessante da feitiçaria? Na verdade, as atividades em Hogwarts são apresentadas de tal maneira que, mesmo que estejam mostrando encatamentos reais, maldições ou experiências extra-sensoriais, essas atividades não têm conseqüências espirituais; embora a Bíblia condene qualquer pessoa que pratique esses tipos de atividade à morte, Harry Potter e seus amigos sistematicamente aprendem todos os caminhos de um verdadeiro satanista sem sofrerem nenhuma conseqüência. É esse tipo de mensagem que você quer que seu filho receba dos livros da série Harry Potter?

A Escola Hogwarts de Magia e Bruxaria

Quando Harry completa onze anos de idade, começa a receber cartas que dizem que foi aceito na Escola Hogwarts de Magia e Bruxaria. O tio Válter procura de todas as formas esconder essas cartas, mas é finalmente vencido quando um feiticeiro de Hogwarts vem à dimensão dos trouxas [leia o artigo N1390 para ter uma explicação completa do conceito Realidade x Fantasia para um satanista]. Harry é milagrosamente liberto para que possa finalmente escapar de sua infeliz existência e entrar no fabuloso mundo da feitiçaria estudando na Escola Hogwarts.

Hogwarts é uma escola proeminente em feitiçaria em todo o mundo do satanismo. Embora seja controlada pelo feiticeiro mais poderoso do mundo, o diretor Alvo Dumbledore, a escola é controlada pelas forças da Magia Branca. Dumbledore está sempre de guarda contra qualquer tentativa do lado da Magia Negra tomar o controle da escola. Das quatro casas de fraternidade estudantil no campus escolar, três seguem a Magia Branca e uma a Magia Negra.

Essa escola ensina uma feitiçaria que é estranhamente real em seus detalhes. Muitos dos encantamentos descritos são reais, e muitas das poções também são reais. Muitas das atividades descritas são reais, mas o leitor não é informado que no mundo real do satanismo, muitos dos encantamentos e atividades ou requererem que o feiticeiro seja possesso por demônios, ou requererem um sacrifício humano. Futuramente teremos alguns artigos que tratarão desse assunto.

Todos os livros caracterizam-se pelo enredo de uma batalha entre Harry Potter e seus colegas praticantes de Magia Branca contra o lado da Magia Negra, com Lord Voldemort ao fundo, lutando por meio dos subordinados dentro da escola. A narrativa é agradável e flui extremamente bem. Os livros são escritos no nível das crianças de onze ou doze anos, o que explica a popularidade alcançada. Cada livro trata de um determinado ano que Harry está estudando em Hogwarts. Assim, A Pedra Filosofal descreve o ano de Harry como calouro na escola, A Câmara Secreta descreve seu ano como veterano, O Prisioneiro de Azkaban seu terceiro ano, e O Cálice de Fogo descreve seu quarto ano.

Nossa recomendação aos pais cristãos é que não permitam que seus filhos leiam esses livros. Além disso, o fato de escolas públicas e particulares estarem adotando os livros de Harry Potter como parte do currículo é mais uma razão para transferir suas crianças dessas escolas e matriculá-las exclusivamente em escolas cristãs.

Como estamos vivendo no fim dos tempos, na iminência do aparecimento do Anticristo, devemos esperar que ocorra uma grande ênfase no condicionamento da maior parte da população para aceitar seus valores de feitiçaria e de magia. Os livros de Harry Potter realizam isso perfeitamente. As crianças, em toda parte, estão aprendendo a amar Harry Potter e as feitiçarias que ele pratica. Elas já estão imitando a cicatriz em forma de raio no meio da testa, exatamente o local onde o Falso Profeta um dia requererá que todas as pessoas recebam a marca da besta, como símbolo da lealdade ao Anticristo.

Quando centenas de milhões de pessoas receberem essa marca da besta, quantas delas terão sido pré-condicionadas a aceitar uma marca em suas frontes por causa dos livros da série Harry Potter? Esse conceito leva-nos de novo à ilustração do demônio na forma de unicórnio que está segurando no colo o menino que lê um livro da série Harry Potter. No entanto, sem que o menino ou seus pais percebam, o demônio está tatuando uma marca na forma de um raio no meio da testa dele, exatamente no local onde a marca final da besta será colocada pelo Falso Profeta.

Acreditamos que esse condicionamento seja exatamente o objetivo de Satanás com esses livros da série Harry Potter.

A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/hp001.asp

2 comentários:

disse...

Minhas filhas leram o livro, mas elas são grandes e sabem discernir as coisas, mas crianças pequenas acho preocupante, pois já vão crescer acreditando naquilo que estão lendo. Paz!

"LABAREDAS DE FOGO" disse...

Rô, acredito que suas filhas saibam discernir o mal. afinal com uma mãe dessa; são Meninas Sábias!