sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Líderes Religiosos Endemoninhados, Povo Religioso Endemoninhado! - do passado e do presente.


Como os líderes religiosos, do passado e do presente, chegaram a esse ponto? E o povo, ficou também assim por causa deles ou vice -versa?.

Um estudo, cuidadoso, do início do capítulo 26 de Mateus, revela comportamentos de, principalmente, dois personagens, que nos ensinam grandes verdades a esse respeito; e o primeiro, é o comportamento que, sinceramente, damos menos importância ao estudarmos essa parte das Escrituras mas, é o mais importante nesse contexto. pois é com ele que aprendemos como nunca chegar ao ponto desses líderes e desse povo.

O ato de Maria derramando um valioso ungüento sobre a cabeça de Jesus. Simples, nós entendemos esse ato de amor, mas paramos por aí. Não procuramos entender como esse comportamento pode afetar, moldar, edificar nossa vida de crente.

Quando pensamos sobre o amor das pessoas para conosco, pensamos sempre na intenção da pessoa: será isso mesmo, ou há outra intenção? É a primeira coisa que nos perguntamos; damos extrema importância a intenção das pessoas, não é mesmo? Com o nosso Senhor também é assim: Jesus aprecia mais do que tudo a dedicação dos nossos corações à sua pessoa. E o que tem haver intenção com dedicação? Já esta respondendo? Claro, a nossa dedicação é o movimento da nossa sincera intenção . Que nesse caso era a de uma pessoa amável, doadora, devota, sem engano, que não mede sacrifício, sem egoísmo e abençoadora. É assim que agradamos ao Senhor.

Agora o comportamento em total contraste com o de Maria, o de Judas, que por ser assim, a narrativa vem logo a seguir. Judas foi o inverso de Maria: não foi amável, não foi doador, muito pelo contrário, foi interesseiro, e por lucro material. No momento em que Judas deveria mostrar toda a sua devoção a Jesus ele foi outro desastre; havia tanto engano em Judas que ele enganou a Jesus e enganou a si mesmo; para qualquer sacrifício seu, há um preço; Judas foi muito egoísta, amaldiçoou a muitos e foi amaldiçoado definitivamente. Cuidado para não ser enlaçado por essas maneiras de agir.

Um terceiro comportamento, que também nos ensina muitas outras verdade, é o de Pedro; havia entusiasmo de mais e muita confiança em si mesmo; não compreendeu bem suas fraquezas; acabou contradizendo o próprio Jesus. Mas, apesar desses erros, o comportamento de Pedro segue na direção certa. e isso acontece quando ele verdadeiramente se converte no Pentecostes. Nem todos podem ser como Maria; mas certamente podem ser como Pedro.

Continuando, a narrativa do capítulo 26 passa a expor o comportamento do grupo; não se sacrificaram pela vontade de Deus; chamados em duas vezes por Jesus não deram a devida atenção; não puderam “velar” ao lado de Jesus.

Podemos ler nas Escrituras que as pessoas não tinham conhecimento dessas verdades tão simples, que eram mesmo ensinadas por Jesus o tempo todo, e que maravilhavam a todos. É como nos dias de hoje; muitos não conhecem a simplicidade do evangelho. Vivem buscando coisas grandes e complicadas.

Nesse contexto do povo de Israel estavam seus líderes e esses, na sua grande maioria, apresentaram esse comportamento derivado do comportamento geral de todo o povo, afinal, todos eram de um só povo; o povo de Deus.

“Então o sumo sacerdote rasgou as suas vestes, dizendo: Blasfemou; para que precisamos ainda de testemunha? Eis que bem ouvistes agora sua blasfêmia. Que vos parece? E eles, respondendo, disseram: é réu de morte. Então cuspiram-lhe no rosto e lhe davam punhadas, e outros o esbofeteavam dizendo: profetiza-nos, Cristo, quem é o que te bateu?”(Mt 26. 65-68).

A conseqüência de tudo isso pode ser vista no próximo capítulo:

"E, respondendo o presidente, disse-lhes: Qual desses dois quereis vós que eu solte? E eles disseram: Barrabás. E, respondendo o presidente, disse-lhes: Qual desses dois quereis vós que eu solte? E eles disseram: Barrabás. Disse-lhes Pilatos: Que farei então de Jesus, chamado Cristo? Disseram-lhe todos: Seja crucificado. O presidente, porém, disse: Mas que mal fez ele? E eles mais clamavam, dizendo: Seja crucificado. Então Pilatos, vendo que nada aproveitava, antes o tumulto crescia, tomando água, lavou as mãos diante da multidão, dizendo: Estou inocente do sangue deste justo. Considerai isso. E, respondendo todo o povo, disse: O seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos.” (Mt 27.20-25).

Esse não é o comportamento de um povo endemoninhado?

Qual é a diferença do povo de Deus nos dias de hoje? Quantos seguem, sem desvios, o comportamento de Maria. Ou o de Judas, discípulo de Jesus, antes de cair! Ou o de Pedro, depois da conversão no Pentecostes? Parece que são poucos.

A grande maioria segue por um caminho errado; seu primeiro amor, profundo, esfria. Perde-se o aspecto mais valioso do relacionamento com Jesus. As conseqüências são que não se doam como antes, passam a pensar sempre em seus interesses; a nossa devoção vai sendo diminuída até à indiferença; o engano toma conta de suas vidas; sacrifício só nas coisas de Deus; não querem sacrificar nada de suas vidas mundanas. Alias, nem reconhecem esse mundanismo; tomados pelo egoísmo não são mais abençoadores. Só lhes resta as maldições.

Será que podemos ver exemplos do comportamento desses líderes religiosos do passado em nossos líderes do presente? Será que os de hoje abandonaram o primeiro amor perdendo o que de mais valioso tinham. Então, seguem os seus interesses materiais buscando compensar essa falta?por isso se transformam em vendedores como os “vendilhões do Templo”? Por isso suas riquezas particulares? Abandonando a sincera devoção passando ao engano e a serem enganadores? Por isso tantas doutrinas de demônios nas suas igrejas? Não há mais sacrifícios em suas vidas pela causa do Mestre? Por isso não abrem mão de suas posições de poder eclesiástico? Suas igrejas abrem as portas para todo tipo de mundanismo? Por isso os escândalos?
E, será que chegaram ao mesmo ponto que seus antecessores? Líderes que protagonizam coisas como a que veremos abaixo estão tomados por qual espírito:

“— "Kenneth Hagin e o Espírito da Serpente" — conta toda a verdade. O espírito da serpente cresceu em seus ensinos e seus métodos até que acredito que essa verdadeira origem ocultista está se tornando manifesta. Kenneth Hagin acaba de realizar um encontro do "Espírito Santo" em Chesterfield, no Missouri. O encontro ocorreu de 12 a 24 de outubro de 1999. Na terceira noite ele começou a manifestar esse espírito da serpente, contorcendo sua língua e fazendo-a sair para fora, exatamente como a língua de uma serpente. Ele também começou a sibilar. Na noite da quinta-feira, quando começou a sibilar, muitas pessoas começaram a deslizar para fora de seus assentos, começando pelos pés. Algumas pessoas também começaram a sibilar de volta para ele. A resposta emocional da audiência foi indescritível. Quando Kenneth Hagin começou a sibilar como uma serpente, demônios começaram a sair de dentro dele, pois ele era o canal para eles; ele estava literalmente oferecendo seu corpo como um canal entre o reino paranormal e este reino físico. "Sibilando", Hagin estava permitindo que os demônios saíssem por sua boca e entrassem em seus ouvintes, "demonizando" cada pessoa no auditório. Lembre-se, cada pessoa que participou desse encontro já tinha dado "permissão" aos demônios para entrarem nelas. Essa realidade espiritual é a razão por que tantas pessoas começaram a deslizar de seus assentos, caindo no chão como serpentes e perdendo totalmente o controle normal do corpo e da mente.” (A Espada do Espírito)

“Quando você assistir a esse vídeo e ver cenas fortes em que Benny Hinn lança demônios sobre o auditório no geral e para os indivíduos no palco, quero que se lembre desse verso. Há tempos que a Cutting Edge afirma que essa forte enganação virá sobre as pessoas que se entregaram ao poder dos demônios, por meio de rituais ocultistas, por meio das religiões de Nova Era, ou por meio de religiões ocultistas disfarçadas de "cristãs". Quando você vir pessoas totalmente possessas por demônios, agitando-se de forma descontrolada, lembre-se desse verso. Benny Hinn é certamente um formador de tendências no movimento de Nova Onda Carismática. Antes de analisarmos alguns de seus ensinos, vamos lembrar a importância da verdade. A Bíblia diz, "Porque a verdade anda tropeçando pelas ruas, e a eqüidade não pode entrar." [Isaías 59:14b]. Provavelmente, nenhuma afirmação bíblica poderia descrever com maior precisão nosso presente mundo religioso. A verdade se tornou relativa, até mesmo para as pessoas que se consideram cristãs. A verdade agora significa coisas diferentes para pessoas diferentes, mesmo dentro das fileiras daquilo que chamamos de cristianismo bíblico. Não estamos falando de diferenças em coisas não-essenciais — as áreas cinzentas de doutrinas — mas quase toda doutrina fundamental está agora sob cerco à medida que os pastores fazem uma omelete com a Palavra Santa de Deus, distorcendo-a e tirando-a do contexto para construir sua própria variedade de "cristianismo". Uma coisa a lembrar — você não pode santificar as falsas doutrinas pelo uso repetido do nome Jesus, ou pela ocorrência de milagres, sejam eles falsificados ou reais. Os demônios operam milagres regularmente por meio dos xamãs para o propósito expresso de enganar as pessoas. Na verdade, vemos exatamente essa ocorrência de poder xamânico sendo usada para enganar as pessoas no livro dos Atos dos Apóstolos, na pessoa de Simão, o Mágico. [Atos 8:9-24].” “Exortamos você a comparar o gingado das multidões nesse vídeo sobre Benny Hinn com o gingado das multidões no nosso vídeo They Sold Their Souls For Rock and Roll. Você descobrirá que as pessoas na audiência estão nas mãos do mesmo espírito demoníaco. Observe também que muitos dos astros do Rock gritam e fazem gestos para o público de forma muito parecida como faz Benny Hinn, pois é por esses meios que os demônios são passados do "receptáculo" para o público, tornando toda a multidão possessa por demônios. Lembre-se, apenas por participar em um desses encontros, você está dando aos demônios permissão para pelo menos afligir você, se não possuírem você. Quando Benny Hinn pede que a multidão grite "Fogo", ao contar até três, todos os que gritam dão aos demônios permissão para possuí-los. Essa questão é realmente muito séria.” (A espada do Espírito)

Não me sinto muito a vontade em trazer aqui as manifestações “estranhas” com líderes religiosos de nossas igrejas em nossa nação mas... não posso “passar por cima”; líderes pulando de galho em galho, ou de casa em casa, ou de caso em caso, fazendo, ele mesmo, seu terceiro casamento.

E o que falar de uma líder, feminina, andando de quatro no púlpito, com roupas sensuais, bramando como um leão, coisa no mínimo muito estranha, que nos remete à passagem que diz:
 “sede sóbrio, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como um leão, buscando a quem possa tragar”.

Líderes participando de cerimônia religiosa (casamento místico espiritual) ao lado de um auto-intitulado “messias”, isso acontecendo em um dos templos do falso cristo.  São tantos escândalos, financeiros, divórcios, adultérios, homossexualismo, daí pra cima; ou melhor; pra baixo! Que não caberia em um só post.

"Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras." [2 Coríntios 11:13-15].


Há diferenças entre o povo de Deus, do tempo de Jesus, para o povo de Deus de nossos dias?


Chega um momento, devido ao seu comportamento, totalmente, desviado da vontade de Deus; o povo não quer mais ouvir Suas verdades; não querem ouvir o que o Espírito diz a Igreja:


“Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina ; mas, tendo comichão nos ouvidos , amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências” (2 Tm 4.3)

Mas, o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios” (1 Tm 4.1)

Quem ouve aos demônios, fatalmente, acaba endemoninhado!
Há diferenças entre os líderes do passado e do presente?

  

3 comentários:

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo Paulo Machado,

A paz de Cristo, o nosso Senhor!

Vivemos a anarquia dos últimos dias do Final dos Tempos.

Apesar de declararem que Jesus Cristo está voltando, blasfemam diretamente nas suas vertigens desenfreadas na construção de MEGA-TEMPLOS para deleite próprio.

São soberbos e não conseguem ser diferentes dos líderes do passado, ou seja, o mesmo estílo dos que crucificaram o Mestre.

O passado e o presente estão juntos diante do HOJE de DEUS.

Eles pagarão caro pelas vidas que se perdem por suas heresias, bem piores que verdadeiras orgias.

Afinal, foi dito que o que for sujo, suje-se mais, e o que for limpo, limpe-se mais.

O Senhor seja contigo,

O menor de todos os menores.

"LABAREDAS DE FOGO" disse...

“O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se tornará a fazer; de modo que nada há de novo debaixo do sol. Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós” (Ec 1. 9,10).

Pr. N. Carpintero. Estes, serão vítimas de suas próprias alianças; assim será com todos os que descem ao “Egito” para buscar ajuda. E não podemos livrar de culpa os que os seguem; Deus tem nos dado a sua palavra para ser como um farol nesse mar de trevas. São todos, da mesma forma, sujos se sujando mais ainda.

“Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa, retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu. E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras, não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas uma certa expectação horrível de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários.” (Hb 10.22-27)

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo Paulo Machado,

Amém! O Senhor seja contigo!

O menor de todos os menores.