terça-feira, 22 de maio de 2012

A GRAÇA DE DEUS X GRAÇA COMUM = DESGRAÇA

TESE = a graça de Deus (Salvação)
 
ANTÍTESE = graça comum (Atividade humana)
  
SÍNTESE = desgraça (Perdição)

Os pregadores da "graça comum" usam Tiago 1.17 para justificar as formas de artes seculares que mais lhes agradam como sendo dons recebidos de Deus. Criam uma mistura confusa que ofusca as mentes mal treinadas para que não percebam a manifestação da graça de Deus, o que de tão maravilhoso ela trás, e o que ela nos ensina. Que é, justamente o contrário do que pregam.

"Pois a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação a todos os homens. ela nos ensina a abandonar a impiedade e as paixões mundanas, para que vivamos neste presente século sóbria, justa e piedosamente" (Tt 2.11,12).

A maioria das pessoas que pregam essa heresia chamada “graça comum”, entendendo ou não, estão empregando o processo da dialética hegeliana. A Dialética Hegeliana foi inventada por G. W. Freidrich Hegel, um psicólogo marxista que tinha como propósito transformar a sociedade com um processo humanista de inspiração satânica.

A Palavra de Deus é para ser entendida através do estudo guiado pelo Espírito que nos levará “ a toda a verdade”. Mas, ao invés dessa forma de estudo, o que fazem é dialogar a Palavra de Deus usando filosofias humanistas, o resultado é que essas pessoas não aprendem tudo sobre Cristo – não somente que ele é um Deus de amor, mas também é um justo juiz.  Na verdade, estão sendo levadas a um “falso cristo”. Elas não estão aprendendo a Palavra de Deus e sim, dialogando a Palavra de Deus.

Muitos, nesse meio, percebem que estão se distanciando da verdade, mas preferem calar-se por medo da rejeição dentro do grupo; esse medo, quando maior do que o temor a Deus, as impedem de batalharem somente pela verdade contida nas Escrituras.     

A Bíblia, algumas vezes, usa graça como sinônimo de misericórdia. Essas pessoas vão muito mais além, usam graça, como sinônimo de uma infinidade de outras coisas; quase todas resultantes das atividades humanas. Como não há nada novo, tudo se repete, já no primeiro século existiram movimentos que associavam a graça com a libertinagem. Judas no verso 4 denunciou-os:

“Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça de nosso Deus...” 

Dizer que coisas mundanas, como por exemplo, estilos musicais derivados de comportamentos encharcados de sensualidade e de uso de drogas , são “boa dádivas” e “dons perfeitos”  dados por Deus, é mesmo um tremendo absurdo; de onde vem essa “sabedoria”?:

“Tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor, como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada. Em todas as suas cartas ele escreve da mesma forma, falando acerca destas coisas. Suas cartas contêm pontos difíceis de entender, os quais os indoutos e inconstantes torcem, como o fazem também com as outras Escrituras, para sua própria perdição.” (2Pe 3.15,16)

Meus irmão, abandonem esse engano enquanto a tempo; não tentem justificar à vós mesmos.

“Cristo nos libertou para que sejamos de fato livres. Estais, pois, firmes e não torneis a colocar-vos debaixo do julgo da escravidão. ...Não vos enganeis: Deus não se deixa escarnecer. Tudo o que o homem semear, isso também ceifara. O que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção, o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna” (Gl 5.1; 6.7).


11 comentários:

vagner ribeiro disse...

Concordo com o texto,pena que exista varios pastores que acreditam nessa tal graça comum, e pasmem até mesmo pastores ditos assembleianos e pentecostais. Nunca vi claramente,nas escrituras, texto que me façam acreditar nela, a graça comun, Acho que isso é só mais uma desculpa para o crente ouvir musicas seculares

rvpss disse...

Meu irmão, vc não teria uma imagem menos agressiva?

"LABAREDAS DE FOGO" disse...

Wagner, é exatamente isso,”uma desculpa”. Não conhecem a graça de Deus ou decaíram dela. Assim, como não aprendem a abandonar sua paixões mundanas, tentam se justificar com esse engodo. Muitos pastores estão mais preocupados em não serem rejeitados pela maioria emergente; “crentes” que não nasceram de novo e muitos que nasceram, mas não ficaram onde deveriam para receberem “virtude” no batismo do Espírito, e ainda, os que extinguiram o Espirito.

"LABAREDAS DE FOGO" disse...

Querido irmão e amigo virtual Rev. Paulo Sergio, peço desculpas e a sua compreensão; a minha intenção foi escolher entre as capas de discos de rock a mais pervertida para demonstrar aos desavisados onde uma mente escrava do pecado, inserida no contexto do rock pode chegar.
Sei que conheces muito bem esse ambiente, por isso a sua correta repulsa a esse exagero. Entenda que há muitas pessoas “gente boa”, mas, ingênuos, que precisam despertar para o perigo que estão correndo.

Casal 20 disse...

Olá, Labaredas! Gostei muito do teu post. É bem verdade que eu dialogo (e muito) com a cultura mundana no meu blog, mas não a justifico e nem babo sobre ela. Tento sempre fazer uma crítica cristã da cultura e não uma justificação da depravação latente dela. Espero que eu esteja conseguindo. Se puder, como exemplo do que estou dizendo, leia este post: http://casal20ribas.blogspot.com.br/2011/08/love-is-losing-game-amy-winehouse.html

Abraços sempre afetuosos.

Fábio.

Anônimo disse...

Gostei do texto mas gostaria que explicasse mais o conceito de graça comum . Segundo o que conheço , a graça comum é a soberania de Deus em ação , dando dons e talentos a todos os homens ( mesmo os ímpios ) mas que infelizmente fazem mal uso deles .Significa que Deus pode usar até mesmo a arte de um impio para um bem maior ( mesmo que o proposito desse impio nao seja glorificar a Deus ).
Será que musicas seculares que não denigrem a moral e que falam da beleza da natureza criada por Deus não seriam uma boa expressão disso ? Como realmente definir e distinguir aquilo que é musica profana e santa ? Sera que musicas da mpb como Aquarela brasileira não são mais belas do que algumas musicas "gospel" que só exaltam os homens ?

Ronaldo Campanaro

"LABAREDAS DE FOGO" disse...

Anônimo Campanaro ou anônimo de campana, não gosto nada desse assunto. Assim, como posso explicar um conceito que não creio ser uma doutrina bíblica. o que posso fazer é refutar os conceitos que você tenta confirmar, usando textos de Teólogos Reformados, para que não entremos por doutrinas pentecostais.

E desde já, para um melhor proveito, peço que traga exemplos, dentro das suas afirmações, de "boa expressão ...de bem maior"


Leia:
"No entanto, para os réprobos, experimentar a graça comum tem muito a ver com a sua condenação eterna. Como os seus defensores a explicam, quanto mais graça comum os réprobos recebem, maior é a sua culpa pela rejeição da bondade de Deus; e quanto mais bondade divina eles rejeitam, maior é a sua condenação no inferno. ...é totalmente inadequado chamar isso de GRAÇA, quando o seu principal resultado para o réprobo é aumentar o seu castigo eterno


...eu reconheço que os termos bíblicos traduzidos como "graça" às vezes têm um significado mais amplo do que graça salvadora; por exemplo, o termo grego CHARIS tem o significado geral de "um dom" ou "um dom que traz alegria"; às vezes esse termo é utilizado para dons que não incluem a salvação como tal. Minha preferência é reservar a palavra inglesa "graça" para a graça salvadora que vem através de Jesus Cristo.[3]

[1] Jack Cottrell, "Set Free! What the Bible Says About Grace – Liberte-se! O Que a Biblia diz Sobre a Graça", (College Press Publishing Co., 2009), 166-167.

[2] Nota do Tradutor: Consequência inevitável do raciocínio calvinista, já que não há esperanças para os réprobos, pois eles já foram "incondicionalmente" destinados a rejeitar a graça de Deus. Na verdade, conforme esclarece Cottrell, para os réprobos, não existe graça nenhuma e a tentativa de ensinar a graça de Deus dessa forma e argumentação é uma falácia.

[3] Nota do Tradutor: Cottrell dá a entender que não existe diferença entre a "graça comum" e a "graça salvadora"; existe apenas a Graça de Deus, salvadora, e essa, através de Jesus Cristo (

"LABAREDAS DE FOGO" disse...

A palavra "graça" foi usado pelo Espírito Santo cerca de 130 vezes no Novo Testamento. Em praticamente todos os casos, refere-se a favor imerecido de Deus, o perdão, a bênção, e poder para aqueles que crêem em Cristo como Salvador. A palavra não é usada no Novo Testamento para descrever "bênçãos" que todas as pessoas possuem, mesmo se optar por rejeitar a Cristo. Os incrédulos no Novo Testamento são aqueles que ainda não receberam a graça de Deus. Talvez venham a ser .... talvez eles não vão. De qualquer maneira, a graça de Deus está disponível para eles por causa do preço que Jesus pagou na cruz.

"Grace" no Novo Testamento refere-se basicamente "riquezas de Deus a expensas de Cristo." São João escreveu: "Porque a lei foi dada por Moisés, a graça ea verdade vieram por Jesus Cristo." (João 1:17) São Paulo escreveu aos crentes: "Porque o pecado não deve ser o seu mestre, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça." (Romanos 6:14) Para falar de alguém que recebe "graça comum" de Deus, enquanto ele está vivendo sob a lei é criar uma nova definição de "graça". O Novo Testamento não conhece tal definição. Os crentes em Cristo são "debaixo da graça." Aqueles sem Cristo estão "sob a lei." Não há graça do Novo Testamento em sua vida quando você está sob lei. Período.

O pecado é comum a todos os homens. A graça é comum apenas aos crentes. A Bíblia diz aos crentes: "Mas a cada um de nós a graça foi dada como Cristo repartida-lo." (Efésios 4:7) bênçãos comuns são dadas a todos. Bênçãos comuns são dadas àqueles que têm fé, bem como aqueles sem fé. A graça é dada por Deus e recebidas pelo homem. Na verdade, "a cada um de nós a graça foi dada." Quem é que "nós" referem-se nessa passagem? Somente os crentes.

A palavra "comum" é realmente usado em referência a "graça" em Tito 1:4. "A Tito, meu verdadeiro filho na fé comum:. Graça e paz da parte de Deus Pai e de Jesus Cristo, nosso Salvador" Nesse sentido, a graça comum é apenas "comum" para os crentes. Fora de Cristo, não há graça e paz da parte de Deus Pai, mas só ira e condenação. Jesus disse: "Quem crê no Filho tem a vida eterna, mas quem rejeita o Filho não verá a vida, a ira de Deus permanece sobre ele". (João 3:36) Os crentes são aqueles que "recebem a abundância da graça de Deus." (Romanos 5:17) Os incrédulos rejeitam a Cristo ea graça de Deus.

A Bíblia diz: "Vede que ninguém perde a graça de Deus." (Hebreus 12:15) Como é que uma pessoa sente falta? Através de incredulidade. Bênçãos comuns não são perdidas. Eles são administrados com ou sem fé. Graça só é recebido por alguém que tem fé em Jesus Cristo. Uma vez recebidas, um cristão é "crescer na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo." (2 Pedro 3:18) Os incrédulos não são capazes de crescer na graça de Deus porque endureceram o coração e se recusou a acreditar. Sua incredulidade impede de receber a graça de Deus.

http://gospel.ativo-forum.com/

"LABAREDAS DE FOGO" disse...

A palavra "graça" foi usado pelo Espírito Santo cerca de 130 vezes no Novo Testamento. Em praticamente todos os casos, refere-se a favor imerecido de Deus, o perdão, a bênção, e poder para aqueles que crêem em Cristo como Salvador. A palavra não é usada no Novo Testamento para descrever "bênçãos" que todas as pessoas possuem, mesmo se optar por rejeitar a Cristo. Os incrédulos no Novo Testamento são aqueles que ainda não receberam a graça de Deus. Talvez venham a ser .... talvez eles não vão. De qualquer maneira, a graça de Deus está disponível para eles por causa do preço que Jesus pagou na cruz.

"Grace" no Novo Testamento refere-se basicamente "riquezas de Deus a expensas de Cristo." São João escreveu: "Porque a lei foi dada por Moisés, a graça ea verdade vieram por Jesus Cristo." (João 1:17) São Paulo escreveu aos crentes: "Porque o pecado não deve ser o seu mestre, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça." (Romanos 6:14) Para falar de alguém que recebe "graça comum" de Deus, enquanto ele está vivendo sob a lei é criar uma nova definição de "graça". O Novo Testamento não conhece tal definição. Os crentes em Cristo são "debaixo da graça." Aqueles sem Cristo estão "sob a lei." Não há graça do Novo Testamento em sua vida quando você está sob lei. Período.

O pecado é comum a todos os homens. A graça é comum apenas aos crentes. A Bíblia diz aos crentes: "Mas a cada um de nós a graça foi dada como Cristo repartida-lo." (Efésios 4:7) bênçãos comuns são dadas a todos. Bênçãos comuns são dadas àqueles que têm fé, bem como aqueles sem fé. A graça é dada por Deus e recebidas pelo homem. Na verdade, "a cada um de nós a graça foi dada." Quem é que "nós" referem-se nessa passagem? Somente os crentes.

A palavra "comum" é realmente usado em referência a "graça" em Tito 1:4. "A Tito, meu verdadeiro filho na fé comum:. Graça e paz da parte de Deus Pai e de Jesus Cristo, nosso Salvador" Nesse sentido, a graça comum é apenas "comum" para os crentes. Fora de Cristo, não há graça e paz da parte de Deus Pai, mas só ira e condenação. Jesus disse: "Quem crê no Filho tem a vida eterna, mas quem rejeita o Filho não verá a vida, a ira de Deus permanece sobre ele". (João 3:36) Os crentes são aqueles que "recebem a abundância da graça de Deus." (Romanos 5:17) Os incrédulos rejeitam a Cristo ea graça de Deus.

A Bíblia diz: "Vede que ninguém perde a graça de Deus." (Hebreus 12:15) Como é que uma pessoa sente falta? Através de incredulidade. Bênçãos comuns não são perdidas. Eles são administrados com ou sem fé. Graça só é recebido por alguém que tem fé em Jesus Cristo. Uma vez recebidas, um cristão é "crescer na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo." (2 Pedro 3:18) Os incrédulos não são capazes de crescer na graça de Deus porque endureceram o coração e se recusou a acreditar. Sua incredulidade impede de receber a graça de Deus.

http://gospel.ativo-forum.com/

"LABAREDAS DE FOGO" disse...

Interessante, até mesmo, o que um proponente da graça comum diz sobre ela: 

Henry R. Van Til, ele mesmo um proponente da graça comum, em seu livro "O Conceito Calvinista de Cultura" (1959, Baker), adverte contra o que ele chama de "abuso" da doutrina da graça comum. Ele fala de "um certo nível de existência no qual o exército do Senhor está imobilizado, onde não funciona como um exercício, mas subitamente toma a aparência de multidões de turistas, ou de uma multidão misturada numa feira e empurrando um ao outro para uma posição melhor de se ver. Assim, há estabelecido entre a igreja e o mundo uma área cinza, sem cor, uma tipo de terra de nenhum homem, onde se obtém um cessar fogo e alguém pode se associar com o inimigo com impunidade num espírito Cristão descontraído, fumando a erva daninha comum".

"LABAREDAS DE FOGO" disse...

Continuando:
Quão freqüentemente é ouvido que os filhos de Deus devem ser um povo separado? Quão freqüentemente é feito referência à 2 Coríntios 6? Quando é ouvido que a amizade com o mundo é inimizade contra Deus? 

Há diferentes doutrinas da graça comum, mas todas as formas de graça comum supõem dois pontos básicos. Primeiro, Deus tem uma atitude favorável ao ímpio réprobo, vendo-os com graça e piedade como objectos de sua bondade e misericórdia. Em segundo lugar, todas as coisas boas que os ímpios réprobos recebem de Deus nesta vida advêm de um amor de Deus por eles, como prova da Sua graça e favor por eles e instâncias de Sua bênção sobre eles.

O motivo do ódio de Deus e horror aos pecadores réprobos é a corrupção moral completa ou total depravação. O Salmo 5 usa as palavras "maldade," "mal," "tolo," "iniquidade," "sanguinário" e "enganoso" (4-6) para descrever os ímpios. O Salmo 5:9, citado em Romanos 3:13 como prova da depravação total de todos os pecadores caídos fora de Jesus Cristo, acrescenta, "A sua garganta é um sepulcro aberto; Com as suas línguas tratam enganosamente; Peçonha de áspides está debaixo de seus lábios." Uma vez que Deus é o tipo de Deus que Ele é, recto, santo e justo e uma vez que o homem é totalmente depravado, Deus odeia o ímpio fora de Cristo: "Porque tu não és um Deus que tenha prazer na iniquidade, nem contigo habitará o mal. [5] Os loucos não pararão à tua vista; odeias a todos os que praticam a maldade" (Sl. 5:4-5).

Então e acerca da teoria da graça comum? De acordo com a graça comum, Deus ama o ímpio réprobo. De acordo com o Salmo 5, Deus odeia o ímpio réprobo. Em quem é que você vai acreditar?s vezes esse termo é utilizado para dons que não incluem a salvação como tal. Minha preferência é reservar a palavra inglesa "graça" para a graça salvadora que vem através de Jesus Cristo.[3] 
 

Infelizmente, muitos cristãos acreditam na graça comum: Deus ama a todos, há bem em todos (contra a depravação total), Deus aprova alguma ou grande parte das actividades do mundo (contra Prov. 21:4) e os cristãos devem ver o bem moral em quase tudo o que os maus fazem. Assim, há bem nos alto-críticos e seu trabalho, apesar de minarem a autoridade e inerrância da Sagrada Escritura. Por causa da graça comum, podemos aceitar as ideias dos evolucionistas (big bang, geologia uniformista e macro-evolução do lodo para os seres humanos), porque eles são boas pessoas que honestamente buscam a verdade (contra Ef. 2:1-3 ). As teorias de psicólogos seculares sobre a culpa, relações familiares, etc, podem ser abraçadas e filmes para adultos podem ser assistidos por causa das operações poderosas da graça comum, alguns ainda ousam discutir.

Mesmo a sodomia! Se Deus ama a todos, então Deus ama os homossexuais, tal qual eles são. Há algum bem moral neles e assim que nós podemos aprender com eles, pois eles nos mostram amor verdadeiro também. Esta linha de raciocínio sobre a sodomia tem sido abraçada por muitos nas igrejas da Holanda, o país natal de Abraham Kuyper, o santo padroeiro da graça comum, assim como discípulos de Kuyper, em Toronto, Canadá, etc. A Igreja Cristã Reformada (CRC ) na América do Norte, que em 1924 expulsou Herman Hoeksema, justificou a permissão a um grupo de lésbicas, cantar sobre lesbianismo, no Calvin College da CRC, em função da graça comum (2002). Bispos da igreja de Inglaterra argumentam por membros e clero homossexuais da Igreja usando graça comum: Deus ama os homossexuais, eles são a sua imagem. A Igreja Presbiteriana na Irlanda, acreditando que Deus ama todos os pecadores e sob pressão simultânea dos homossexuais e do politicamente correcto tanto dentro e fora da denominação, produziu um "forjado" documento de compromisso sobre a sodomia, na sua Assembleia Geral de 2007 (

www.cprf.co.uk/articles/pciandsodomy.htm).